COMO LER PENSAMENTOS PELO OLHAR

A conexão entre o pensamento e os movimentos dos olhos foi uma das primeiras observações feitas em 1972, quando a PNL se originou.

Quando entendemos como a conexão entre o movimento dos olhos e os pensamentos funciona, nós podemos ter informações valiosas que nos permite comunicar e entender melhor as pessoas. 
 
Richard Bandler e John Grinder, juntamente com seus alunos, exploraram a relação entre os movimentos dos olhos e os diferentes tipos de sentidos; bem como os diferentes processos cognitivos, que todos têm uma associação com atividade cerebral particular e hemisférios. 
 
Desenvolver nossas habilidades no uso dessas dicas de acesso aos olhos nos permite reconhecer como uma pessoa pode estar pensando. Por exemplo, se ela está imaginando um evento passado ou futuro; projetando internamente um som ou criando um som; concentrando-se em seus sentimentos ou falando para si mesmos. 

Depois de incontáveis ​​horas de observação de pessoas de todo o mundo, diferentes culturas e origens étnicas, os resultados dos estudos de Bandler e Grinder revelaram revelam que o esse estudo era preciso. 
 
Há, no entanto, um pequeno número de exceções que foram estudadas, exploradas e consideradas verdadeiras em meados da década de 80.

COMO LER PENSAMENTOS PELO OLHAR - SILAS NEVES
A melhor maneira de começar a identificar e reconhecer esses sinais dos olhos é começar a praticar em outra pessoa. Peça a um amigo, membro da família ou colega para ajudá-lo a praticar. E para isso formulamos algumas perguntas para você praticar. 
 
Faça-as e anote onde a pessoa olha em resposta a cada pergunta. Nota: Certifique-se de que está a ver a pessoa enquanto faz a pergunta, pois não quer perder a resposta inicial. O mais importante é observar onde a pessoa olha primeiro, antes de responder verbalmente.

Visual Lembrado: 

Tendemos a olhar para cima e para a esquerda quando nos lembramos de algo que vimos antes. Pergunte ao seu parceiro uma série de perguntas que exigem que ele se lembre visualmente de algo. Por exemplo: 

Pense na cor do seu primeiro carro. 

Que tipo de padrão está em sua colcha em casa agora? 

Pense em quando você viu pela última vez alguém passeando com seu cachorro. 

Quem foram as últimas cinco pessoas que você viu ontem à noite? 

Visual Construído: 

Nós tendemos a olhar para cima e para a direita quando estamos imaginando algo que nunca vimos antes ou construindo informações visuais de uma nova maneira. Pergunte ao seu parceiro várias perguntas que exigem que eles construam algo visualmente. Por exemplo: 

Considere como você pode se parecer daqui a 30 anos? 

O que você vai fazer daqui a 24 horas? 

Como você se parece em pé em cima da mesa? 

Recordatório Auditivo: 

Nós tendemos a olhar diretamente para a nossa orelha esquerda quando estamos nos lembrando de algo que ouvimos antes. Pergunte ao seu parceiro várias perguntas que exigem que ele lembre-se de algo. Por exemplo: 

Você consegue pensar em uma das suas três melhores músicas favoritas? 

Pense no som de um único estalar do dedo. 

Quando você toca a buzina do carro, como soa? 

Como é a voz do seu amigo mais próximo? 

Auditivo Construído: 

Nós tendemos a olhar diretamente para a nossa orelha direita quando estamos imaginando algo que nunca ouvimos antes. Por exemplo, pergunte ao seu parceiro as seguintes perguntas 

Como seria o presidente ou primeiro-ministro com uma voz estridente? 

Como seria sua música favorita se fosse tocada de trás para frente? 

Qual seria a sua música favorita se fosse cantada pelo Mickey Mouse? 

Diálogo Interno: 

Nós tendemos a olhar para baixo e para a esquerda quando estamos conversando com nós mesmos. Pergunte ao seu parceiro uma série de perguntas que irão levá-lo a um diálogo interno consigo mesmo. Por exemplo: 

Diga na sua cabeça para si mesmo, seu nome completo, sua data de nascimento e onde você nasceu. 
 
O que você diz a si mesmo quando comete um erro? 

O que você diz para si mesmo para encorajar ou motivar a si mesmo? 

Cinestésico lembrado: 

Nós tendemos a olhar para baixo e para a direita quando nos lembramos de sentimentos táteis ou emoções internas. Faça ao seu parceiro as seguintes perguntas que exigem que ele recorde um sentimento tátil ou uma emoção interna: 

Como se sente ao acariciar um cachorro? 

Como se sente quando a neve cai no seu rosto? 

O que um dado parece na sua mão? 

Quando foi a última vez que você se sentiu extremamente triste? 

Cinestésico Construído: 

Cinestésico refere-se a sentimentos externos, táteis e também a emoções internas. A pessoa que sente tristeza, por exemplo, olhará para baixo e para a direita. Perguntas para obter uma resposta cinestésica são: 

Imagine a sensação de dor de estômago se transformando em sentimentos de água morna e calmante entre os dedos. 

Imagine os sentimentos de pele de gato se transformando em sentimentos de doce mel. 

Imagine os sentimentos de raiva transformando-se no sentimento de estar motivado para fazer algo positivo. 

Imagine a sensação de estar desmotivado, transformando-se no sentimento de determinação.

Agora, pergunte ao seu amigo seu parceiro para realizar o mesmo processo com você, e você pode comparar as notas!

É fundamental ter em mente, como estamos observando e acompanhando os movimentos dos olhos, e que muitas pessoas já têm movimentos oculares automáticos, relacionados à sua própria modalidade. Por exemplo: Uma pessoa altamente visual pode instintivamente olhar para cima, para a esquerda ou para a direita, independentemente da modalidade sensorial que está sendo assumida pela pergunta feita. 

Se você pedir a essa pessoa para pensar em sua "música favorita", a pessoa pode escolher (sem hesitação) visualizar a obra de arte para lembrar o nome da música. 

Uma pessoa mais cinestésica pode olhar para baixo e checar seus sentimentos para avaliar como se sente sobre as músicas e descobrir qual é a sua "favorita". Portanto, é fundamental perguntar à pessoa e verificar o que elas fizeram em suas mentes ao responderem à (s) pergunta (s). Isso nos permitirá avaliar a percepção do significado dos movimentos dos olhos. 

O uso mais popular da posição dos olhos na PNL é determinar as estratégias representacionais que outra pessoa está usando para considerar ou tomar uma decisão. Como a maioria dos aspectos de nossos processos de pensamento são inconscientes, os movimentos oculares espontâneos podem ser muito cruciais para elicitar e modelar nossas estratégias internas de tomada de decisão, memória, motivação e aprendizado.


Quer ganhar 3 aulas de PNL?