COMO CRIAR METAS COM A PNL 

Muitas pessoas fracassam em seus objetivos por não saberem como elaborar suas metas. E por isso, listamos os 10 elementos que devem conter nas suas metas, para que elas se tornem poderosas e realizáveis.  


1. Metas bem formuladas são definidas com uso de termos positivos. 

Ao determinarmos alguma meta para alguma área de nossas vidas devemos nos certificar de que a forma como a descrevemos é positiva para nós. Isso significa que devemos focar no que queremos, ao invés de focar naquilo que não queremos.

COMO CRIAR METAS COM A PNL - SILAS NEVES
2. Metas bem formuladas têm como foco principal aquilo que queremos 

Outro fator importante sobre a definição das metas, é que essas devem ser formuladas com base no que queremos para não, não com base no que outras pessoas querem para nós. 
 
Buscar resultados que visem agradar ou manter os outros felizes são naturalmente mais difíceis de serem alcançados, uma vez que isso não está sob o nosso controle (não controlamos como os outros reagem ao que fazemos). 
 
Portanto, certifique-se que o motivo principal pelo qual você estabelece uma meta é exclusiva e sumariamente por você. Não trace metas com objetivo de “emagrecer porque o parceiro deseja” ou “ganhar dinheiro para ser aceito por certas pessoas”. Encontre antes motivos que te beneficiem exclusivamente, como “emagrecer por saúde” ou “ganhar dinheiro para ter uma vida mais confortável”.


3. Metas bem formuladas são baseadas em coisas sobre as quais temos controle. 

A única coisa que realmente temos controle sobre como escolhemos responder às circunstâncias e eventos que a vida traz. Não podemos controlar o que vai acontecer em nossas vida ou o que as outras pessoas pensam, dizem ou fazem. Portanto, devemos definir metas com base no que está sob o nosso controle, ou seja: Nossos pensamentos, sentimentos e comportamentos.
Assim sendo, uma meta como “Eu quero que outras pessoas me tratem com respeito” não está bem formulada. 

Entretanto, em contrapartida, "Eu quero responder assertivamente quando os outros me tratam de maneira desrespeitosa", ou "eu quero me comportar de uma forma que encoraje os outros a me tratar com respeito" está bem formulado, uma vez que está ligado a como nós respondemos às situações.


4. Metas bem formuladas são baseadas nos nossos sentidos 

Quando imaginamos o que “veremos, ouviremos e sentiremos” ao atingir o resultado, nós damos ao nosso cérebro uma grande quantidade de informações úteis e valiosas que nos ajudam consciente e inconscientemente a tomar melhores decisões. E desta forma, a viabilidade da meta aumenta. 
 
Considere o que é que você pode ver, o que você pode ouvir e o que está sentindo ao imaginar que já alcançou o resultado desejado. Por exemplo, se o seu resultado for “eu quero ter mais confiança no trabalho”, podemos recondicionar isso como: 'Eu quero ser mais confiante no trabalho, e posso me ver fazendo contato visual com meus colegas; Posso me ouvir comunicando de maneira calma e ponderada, enquanto ouço com atenção outras pessoas”. 


5. Metas bem formuladas são sequenciadas e pequenas. 

Muitas vezes nossas metas podem parecer impossíveis, difíceis de alcançar, ou até mesmo distantes. E ver as metas dessa forma pode nos fazer desanimar antes mesmo de começar. Porém, quando dividimos ela em pequenos pedaços, ou em etapas menores, fica muito mais fácil gerenciá-la. Assim, reduzimos o desafio e aumentamos a motivação. 


6. Quais recursos você precisa? 

Um dos maiores desafios em relação às nossas metas é justamente levantar todos os recursos necessários. E nesse momento muitas pessoas travam, justamente por causa da ausência de recursos, como: Quero escrever um livro, mas não tenho computador; Quero comprar um carro, mas não tenho dinheiro suficiente etc. 
 
Porém, é nesse momento que se faz necessário levantar os recursos, e além disso, fazer um levantamento do que é necessário para ter os recursos. Como: Poupar R$2.000,00 mês para dar entrada em um carro, e para isso desenvolver algum método de renda extra etc. 
 
É interessante, nesse momento, ressaltar duas coisas: 
 
Primeiro: Temos todos os recursos que precisamos, uma vez que o recurso principal que nos permite conquistar tudo o que queremos é o nosso cérebro, mais especificamente a nossa criatividade, o nosso foco, a nossa disciplina, o nosso entusiasmo etc. 
 
Segundo: Nunca importa o tamanho do seu sonho. A única coisa que importa é o preço que você está disposto a pagar pelo seu sonho. E esse é o preço: Conquistar os recursos necessários, etapa por etapa, para poder viabilizar o seu sonho. 
 

7. Em que contexto você quer alcançar essa meta? 

Quando, onde e com quem você alcançar essa meta? Qual o contexto no qual ela está inserida? 
 
Quando especificamos a meta que desejamos atingir, é mais fácil de avaliar se conseguimos ou não alcançá-la. 
 

8. Como você vai saber quando você alcançou essa meta? 

Quais resultados sensoriais específicos te demonstrarão que você alcançou a meta? 
 
Lembre-se que a sensação de confiança para você não é a mesma para outra pessoa. Logo, é necessário que saibamos como nos sentiremos e como será o resultado de modo específico. 
 
Logo, quando formular uma meta, lembre-se de especificar detalhes, de como você se sentirá, do que terá ao realizar a meta etc. 
 
Ou seja: Pinte um quadro, mentalmente, de como é o resultado, e coloque bastante detalhes nessa pintura. 
 

9. Metas bem formuladas são atraentes 

Objetivos atraentes são motivadores. Você provavelmente já assistiu um filme em que em algum momento que foi tão lento, aborrecido e chato que você desligou. E se definirmos nossas metas dessa mesma forma, com certeza não teremos motivos para buscá-las. 
 
Portanto, é importante que nossas metas sejam motivadas, animadas, alegres, entusiasmadas. É necessário que tenhamos uma visão clara e nítida do que desejamos alcançar. Quanto mais real experimentamos a sensação de ter alcançado a meta, com cores, vozes, sons e sensações, mais motivado podemos nos tornar. 
 

10. Metas bem formuladas são ecológicas 

Quando pensamos em alguma meta, temos que encaixá-la em todo o resto da nossa vida. Ou seja: Devemos criar metas que estejam relacionadas com nosso propósito de vida, com outras prioridades importantes, com os nossos valores pessoais etc. 
 
Além disso, devemos levar em consideração as pessoas envolvidas e o impacto que nossa meta pode ter em outras vidas, e identificar se ela proporcionará o bem ou trará prejuízos para outros.

Quer ganhar 3 aulas de PNL?